O Beco do Batman reúne, desde os anos 80, obras de alguns dos melhores grafiteiros do mundo no bairro Vila Madalena. Os desenhos super coloridos são cenário para filmes, sessões de foto e muitas selfies de turistas.

Os moradores de São Paulo têm muito orgulho do graffiti que cobre as paredes e muros de vários locais da cidade. O prefeito Haddad começou a sua gestão apagando o graffiti do viaduto conhecido como “Minhocão”, e o seu sucessor, João Dória, apagou as pinturas da avenida 23 de Maio. Nos dois casos a imprensa reclamou, os moradores reclamaram, e os dois prefeitos voltaram atrás.

Mas entra prefeito, sai prefeito, e ninguém ousa tocar no graffiti do Beco do Batman, um dos símbolos da arte urbana de São Paulo no coração do seu bairro mais boêmio.

Reza a lenda que o nome surgiu quando, em pleno anos 80, um grafiteiro desenhou um Batman no beco. O desenho foi ficando e logo virou o ponto de referência do local, até então sem grandes atrativos estéticos. Os grandes muros e paredes e o incentivo dos moradores da área inspiraram centenas de outros desenhos ao longo dos anos. O Batman original foi coberto por novas pinturas, como é a natureza do graffiti. Mas outras representações do homem morcego aparecem sempre, para que o beco continue fazendo jus ao nome.

O Beco do Batman é vivo, sempre com novos desenhos enfeitando as ruas Gonçalo Afonso e Medeiros de Albuquerque. Por isso este é um passeio que sempre vale a pena repetir e registrar. Os melhores grafiteiros do Brasil e do mundo deixam um pouco da sua arte neste museu ao ar livre.

 

Fonte: São Paulo para iniciantes

 

Imagem: Bigstock by Karol Kozlowski